to say

Ask me anythingArchive

Partido.

Se eu pudesse colocar em palavras
Ou quem sabe, expressar num grito
Toda a dor que eu sinto
Toda a dor
Que me esmaga…

Sinto todo o maxilar doer
E quando acordo
Só não quero levantar
Mas é tudo que eu tenho
Não vou deixar você morrer de fome.

Eu achava que eu
Sabia
Que eu entendesse de dor
Mas eu só entendo
De ferimentos leves
Nada dói mais
Nada destrói tanto
Quanto um coração
Partido.

- C.S.O, heart-broken.

Michelle Rodriguez & Cara Delevigne

"Tem uma guerra no meu travesseiro
na minha mente
no meu corpo.
As paredes estão mais próximas
o ar viajou para onde existe o mar, o vento festejou.
O quarto está bastante quente,
uma temperatura fora do normal.
No meu quarto sem tv, suas
palavras que ficaram se tornaram
o meu único entretenimento
Eduardo Alves, indeferindo.."

- No quarto sem tv.  (via blues-dapiedade)

(Source: indeferindo, via blues-dapiedade)

Sobre A Loucura.

É de uma menina
Que eu uma vez
Amei
Disse a ela
Quando lhe dei
O livro
Talvez ela não entenda
O passado
Talvez ela não entenda
O motivo
Mas é assim mesmo
Eu digo
Quando eu era jovem
Também acreditei
Que era sobre o
Amor
Mas se soubéssemos
Logo de cara
Então a vida
Não teria graça
Precisamos da cicatriz
Precisamos de nosso próprio
Refrão
Pra entender a canção
E seguir em frente
Ora pois,
Da linha
Se faz a costura
São as batalhas
Que constroem a armadura
Não tenha ciúmes de mim,
Menina
Não é sobre o amor
É sobre a loucura.

- C.S.O

Will you?

Polaroid.

'Eu não sou a sua Polaroid pra ter respostas instantâneas pras suas perguntas, garota.'

Odiava quando ela me chamava de garota, me fazia sentir tão criança. Olhei pra ela com desgosto, sabia que ela tinha feito de propósito. Ela parou e riu, e aquele sorriso de gato malhado safado dela se abriu de orelha a orelha. Não havia nada que ela gostasse mais do que me irritar.

Antes que ela pudesse fechar o tempo de novo, mirei a câmera pra ela e tirei a foto num clique rápido. Ela fez uma cara mista de surpresa com vergonha e vi seu rosto ficar vermelho como um termômetro indicando aumento de temperatura. Ri dela e esperei a foto sair. Estava linda, a luz do sol que entrava pela janela tinha ficado muito perfeita. Cada coisa naquele pequeno retrato parecia em seu devido lugar. As meias, a calça jeans, a forma como ela estava sentada de perna de índio, o gorro verde musgo, o piercing no lábio inferior. E o sorriso, é claro, aquele sorriso. Eu tive de rir, eu tinha captado a sua essência, não aquela imagem que ela vivia tentando passar.

'O quê? Me dá! deixa eu ver!'

Ela ordenou e tentou pegar a foto de mim, mas eu fui mais rápida. Eu era mais rápida que ela em tudo, em apostar corrida, em tirar foto, em responder perguntas. Eu achava aquela lerdice uma graça, mas ela odiava ser deixada pra trás e ainda pagar de fofa. Ela fazia de tudo pra ser o ‘macho-alfa’, se sentir no comando e invulnerável. Mas aquela fotinho era toda a prova contra ela que ela não queria criar então eu tinha certeza que ela não iria descansar enquanto não arrancasse aquilo das minhas mãos.

'Me dá, Stella! Me dá agora!'

Eu me recusava e esquivava e ela se contorcia toda tentando pegar de mim.

'Nope! Nope! Nope!'

Até que ela caiu em cima de mim na cama e eu quase derrubei a câmera no chão.

'Cuidado, sua bruta! Esse brinquedo é caro!'

'Bruta? Você ainda não viu nada!'

Ela agarrou meus braços e me prendeu indefesa. Senti toda a sua força em cima de mim, todo o peso que ela tinha. Ficamos cara a cara, nós duas ofegante com o jogo de pega a pega. Pude ver por dentro de sua camisa branca o sutiã preto, a barriga sarada que eu amava e o outro piercing no umbigo. Vi seus olhos negros olhando pra minha boca e isso me excitou. Ela percebeu e sorriu, se mexendo pra que nossos corpos ficassem ainda mais próximos. Foi soltando meus braços aos poucos e eu sentia nossos batimentos cardíacos entrando em sintonia. E aqueles olhos negros, e aquele piercing na boca…

Na iminência do beijo, quando ela estava tão ocupada focalizando em mim, focalizei em nós e com a câmera longe na horizontal mesmo, apertei o botão e tirei outra foto. Ela ouviu o barulho que a câmera fez e parou, surpresa. Olhou pra câmera descrente e depois olhou pra mim. Arqueei um sobrancelha e dei um risinho. Ela entrou na brincadeira e riu também.

'Safada você, hein, garota'

'Se você me chamar de garota mais uma vez, eu tiro outra.'

'Não me ameace, garota'

E antes que ela pudesse tirar a câmera de mim, lá vou eu mais uma vez, sempre dois segundos a sua frente. A foto saiu torta e ela com a mão estendida pra pegar a câmera com cara de flagra, mas quem se importa. Está linda, está nossa. Eu disse isso pra ela depois que fiz a montagem das três juntas, mas ela não ouviu. Só continuou tentando acender o cigarro contra o vento na boca e me chamando de garota como se ela própria não andasse com essa última enfiada num bolso da carteira.”

- C.S.O

Aparições.

Não sei se tenho medo

Ou merda

Na cabeça.

- C.S.O

Gracias por todo, Gabo.

Que Você Se Lembre.

"C., espero que quando você ler isso, você se lembre. Seja lá quem você for no seu agora, que você se lembre. Que você se lembre de quem nós fomos, pelo que passamos e o que aprendemos no caminho. Que você se lembre das perdas e dos ganhos, de todas as vezes que caímos e nos cuidamos. Das palavras, dos amigos, da primavera e da metamorfose. Que você se lembre das coisas que te fazem mais genuína, a sua teimosia e esse seu amor do tamanho do mundo que te preenche. Que você se lembre de mim, dessa adolescente extremamente mal resolvida que só espera que você alcance a sua felicidade e não abra mão dela por nada no mundo. Seja com quem for, seja aonde for, seja fazendo a loucura que você fizer (e eu sei que você é capaz de fazer). Que você se lembre do que você sonhou, que você se lembre do que eu sonhei, que você ainda se lembre de sonhar. Que você sonhe. Que você ainda consiga dar seus próprios passos e não espere por ninguém porque o tempo não para, você sabe muito bem disso. Que você se lembre de ser corajosa, que você se lembre de acreditar em alguma coisa, que você se lembre de seguir em frente e de se apaixonar pelas coisas mais brilhantes, insignificantes e delicadas da vida. E que você se lembre do quanto nós somos erradas. É, de fato somos toda errada. Mas que você se lembre de que esse é o nosso lado certo. 

- da sua (mais nova e legal) C.

Que você seja a gente de propósito.”

A última das minhas respostas inquietantes.

"Call it magic when I’m with you."

Magic - Coldplay

Menina Da Garoa.

Menina da garoa

Vem derramar-se em meus braços

Como a chuva que cai

Em cachoeira de um céu

Chateado

Vem se afogar em meus olhos

Como um navio que naufraga

No mar

Ou um barquinho de papel

Numa banheira

Sem eira

Nem beira

Me inundar

Com tuas palavras

Tão doces

E tão sinceras

Vem,

Menina da garoa,

Que o amor também transborda

As nossas verdades.

- C.S.O